Em um ano, casos de conjuntivite passam de 691 para 15 mil mensais

Emergência da Fundação Altino Ventura recebe, diariamente, cerca de 700 pacientes com queixas da doença.

Surto de conjuntivite lota emergências na RMR; saiba como prevenir a doença

A Fundação Altino Ventura (FAV), hospital de referência que oferece atendimento gratuito no Recife, recebeu, no mês de abril, 15 mil pessoas com conjuntivite. Esse número é 22 vezes maior que o registrado em abril de 2017, quando foram realizados 691 atendimentos. 

Olhos coçando, vermelhos e lacrimejando são alguns dos sintomas da conjuntivite, uma inflamação que atinge uma membrana dos olhos e costuma incomodar muito. A equipe da TV Globo visitou, na manhã desta quinta-feira (9), a emergência da FAV, que lotada cheia de pacientes.

A doença é altamente contagiosa, e a recomendação é que as pessoas evitem locais com aglomeração, mas os doentes vão à FAV porque precisam confirmar o diagnóstico e pegar um atestado.

De mil pessoas atendidas na FAV por dia, cerca de 700 têm queixas que são sintomas de inflamação da conjuntiva, a membrana que reveste o olho. É tanta gente o dia inteiro que o paciente já começa a ser atendido no corredor.

“Acordei com os dois olhos tapados, de uma vez só”, conta o zelador José Roberto Silva. “Incomoda muito, dói bastantes. Os olhos ficam ardendo, com uma sensação de que tem alguma coisa dentro, como areia ou poeira”, descreve a camareira Lucenir Mariano.

A cozinheira Sandra Carmem, que trabalha em uma escola, contou que teve que faltar ao trabalho por conta da doença. “Na escola também tem muita criança chegando e voltando para casa, sem poder assistir às aulas”.

Para tentar descentralizar o atendimento, a FAV fez uma capacitação específica para conjuntivite com 120 médicos de outras unidades de saúde.

O tratamento é feito com colírio. Para limpeza, é importante usar lenços descartáveis que evitam a contaminação. “O tratamento dura de cinco a sete dias e, para não pegar [a doença], bastante higiene nas mãos, com álcool em gel, líquido ou sabonete, e não coçar os olhos”, explicou o médico Thiago Moraes.

FONTE G1 PE




COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here